• denuncias
  • peticionamento
  • Mediação
  • administracao publica
  • fraudes trabalhistas
  • liberdade sindical
  • meio ambiente
  • promocao igualdade
  • trabalho escravo
  • trabalho infantil
  • trabalho portuario
  • mov procedimentos
  • autenticidade de documentos
  • Monólogo sobre casos de trabalho escravo e tráfico de pessoas encerra campanha #TodosContraOTráficoDePessoas
  • ALÉM DA COTA
  • COMUNICADO PORTARIA 2132
  • peticionamento eletronico DTI
  • aviso horário 2019
  • BRASILIT BANNER

Monólogo sobre casos de trabalho escravo e tráfico de pessoas encerra campanha #TodosContraOTráficoDePessoas

27 de agosto de 2019 - A campanha #TodosContraOTráficoDePessoas, promovida pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), a ONU Brasil e parceiros para chamar a atenção para a situação das vítimas do tráfico de pessoas no Brasil, foi encerrada no dia 21 de agosto no Auditório do Ibirapuera, em São Paulo (SP), com a apresentação da peça Trinta e Dois. Aberto ao público e convidados, o evento de encerramento contou com a participação de cerca de 800 pessoas, que assistiram aos monólogos cujos textos foram baseados em relatos verídicos de pessoas que foram traficadas para exploração sexual e trabalho escravo, interpretados pelos atores Cris Vianna, Dan Ferreira, Natallia Rodrigues e Yasmin Bispo, dirigidos por Mariana Jaspe.

Espetáculo "Trinta e Dois"
Espetáculo "Trinta e Dois"

Além da peça, os presentes puderam visitar a mostra de fotografias instalada no Foyer do auditório, com obras dos fotógrafos Pedro Villa, Duda Breda e Guilherme Licurgo, que retrataram mulheres, transexuais, refugiados e imigrantes, pessoas reais expostas a situações de vulnerabilidade.

Exposição de fotos de pessoas reais expostas a situações de vulnerabilidade.
Exposição de fotos de pessoas reais expostas a situações de vulnerabilidade.

 

A campanha faz parte do projeto "Somos Livres: todos contra o tráfico de Pessoas”, cujo objetivo é possibilitar a inclusão social das vítimas do tráfico de pessoas por meio do acesso ao mercado de trabalho. A estratégia visa quebrar o ciclo de vulnerabilidades a que estão sujeitas as vítimas do tráfico de pessoas, uma das causas-raiz do problema.

Participantes da oficina na peça Trinta e Dois
Participantes da oficina na peça Trinta e Dois

Ao abrir o evento, o procurador do Trabalho Gustavo Tenório Accioly, idealizador do projeto, explicou como foram desenvolvidas as ações: “desenvolvemos o programa Todos Contra O Tráfico de Pessoas em quatro etapas: cursos de profissionalização para potenciais vítimas; participação da ação nacional Onda Azul e criação da instalação interativa no vão livre do Masp, cujo objetivo foi incentivar as pessoas a identificarem e denunciarem situações de tráfico; promoção de audiência pública na sede do MPT em São Paulo; e o lançamento do site www.somosmaioria.com.br , uma ferramenta de vagas e currículos para que as empresas e este público possam se encontrar”.

Procurador do Trabalho Gustavo Tenório Accioly abriu o evento.
Procurador do Trabalho Gustavo Tenório Accioly abriu o evento.

 

Gustavo lembrou que o tráfico de pessoas “é uma realidade existente, uma epidemia mundial que movimenta 32 bilhões de dólares ao ano e atinge 2,4 milhões de pessoas. Não podemos nos calar. A noite de hoje é um ato de resistência e tem a finalidade de quebrar o silencio em torno de um problema que acomete a dignidade do indivíduo e o transforma em mercadoria. Nenhum Estado democrático, como é o Brasil, pode aceitar, não pode tolerar esse tipo de indignidade”, finalizou.

A peça trouxe relatos de vítimas de exploração sexual e tráfico de pessoas
A peça trouxe relatos de vítimas de exploração sexual e tráfico de pessoas

Convidados foram assistir a peça
Convidados foram assistir a peça

#TodosContraOTráficoDePessoas

O projeto contou com a realização de debates, mostra de fotografias, organização de audiências públicas e de oficinas de capacitação ministradas por profissionais referência em suas áreas. Foram capacitadas 73 pessoas - mulheres, pessoas trans, migrantes e refugiada/os - em variadas situações de vulnerabilidade. As oficinas de capacitação aconteceram no mês de julho, no Museu do Imigrante, e abordaram três áreas: Beleza, Moda e Música.

Na oficina de Beleza, que teve a participação de Henrique Martins e da Escola de Beleza Sweet, o objetivo foi despertar o interesse do público-alvo, fornecendo informações e técnicas para o trabalho como auxiliar de cabeleireiro. O conteúdo incluiu questões práticas, como atendimento ao cliente, noções de cosmetologia, técnicas de secagem e escovação e maquiagem.

Na área Moda, o Projeto Ponto Firme conduziu a oficina ‘Crochê Criativo e Experimental’, em que participantes foram estimulados a pesquisar referências visuais e estéticas para elaborar peças com a técnica. Além disso, a estilista Lena Santana ensinou como reutilizar peças de roupas descartadas e transformá-las em novos itens de vestuário, na oficina de moulage — técnica de modelagem e costura tridimensional.

Na Oficina de Música e Tecnologia, que contou com o apoio da Escola DJ BAN E.M.C., os participantes aprenderam a lidar com equipamentos eletrônicos e softwares para mixagem, com oportunidade de pesquisa de estilos musicais e estrutura rítmica. 

Ao final do projeto, foi criado um site de perfis/currículos virtuais de grupos de pessoas historicamente vulneráveis ao tráfico de pessoas e trabalho escravo. “O MPT entende que garantir que diversos grupos sociais sejam representados no ambiente de trabalho é uma forma de atingir a dignidade humana e o valor social do trabalho”, explicou Gustavo Accioly. Os primeiros perfis a serem incluídos no site, cuja plataforma está sob a responsabilidade do NEPO-UNICAMP, são dos participantes das oficinas de capacitação.

Entrega dos diplomas
Entrega dos diplomas

 

Imprimir

  • banner pcdlegal
  • banner abnt
  • banner corrupcao
  • banner mptambiental
  • banner radio
  • banner trabalholegal
  • Portal de Direitos Coletivos